Por que fazer intercâmbio?

  • Vale a pena fazer intercâmbio?

Essa é a pergunta que nos fazemos ao pensar em viajar e fazer um curso de idiomas no exterior.

Em julho, após voltar das minhas 10 semanas de viagem, poderei fazer uma postagem mais profunda sobre a questão, do ponto de vista de alguém que efetivamente viveu a experiência.

Mas, após tantas pesquisas e planejamento, posso listar algumas pós e contras que podem te ajudar a decidir se vale a pena fazer um intercâmbio:

Contras:

  1. Intercâmbio é caro;
  2. Você não irá ficar fluente após passar 1 mês no exterior;
  3. Você irá viajar sozinho, e como tal, terá que (aprender a) se virar sozinho;
  4. Você provavelmente não irá encontrar as comidas que está acostumado a comer aqui no Brasil, e nem tudo que experimentar no seu destino irá agradar o seu paladar;
  5. Terá que se adaptar a uma cultura diferente da sua;
  6. Provavelmente pagará alguns micos justamente por não conhecer essa cultura;
  7. Ficar longe de familiares e amigos;
  8. As pessoas de outros países, no geral, não são tão amistosas e expansivas quanto nós brasileiros (nada de dar um abraço e beijinho em quem acabou de conhecer, rsrs);
  9. Terá que respeitar as regras e espaço dos outros, em menor ou maior grau, dependendo se você ficar hospedado em residência estudantil ou em casa de família (homestay).

Creio que esses são os principais. Agora vamos falar dos prós.

Prós:

  1. Intercâmbio é um investimento. Você está investindo em você, na sua educação/formação;
  2. O valor pode sim caber no seu bolso, basta pesquisar bastante, e se dispor a economizar. Você pode aproveitar, por ex., seus anos de faculdade para já ir guardando dinheiro, e os primeiros anos após formado, ou pegar o dinheiro que juntou durante a faculdade e ir para um país que permita estudar e trabalhar, como a Irlanda. Tem quem dispense um intercâmbio que gira em torno de R$10.000 caro, mas anulamente gasta mais de R$2.000, R$3.000 trocando de celular e indo toda semana ao cinema e a todos os shows que acontecem em sua cidade (cada um com suas prioridades. 😀 );
  3. Você não irá ficar fluente em um período curto de tempo – é fato – mas com certeza irá melhorar em demasia sua capacidade de compreensão e comunicação no idioma estrangeiro pois estará em um ambiente de total imerção, sendo obrigado a pensar no idioma em todos os momentos do seu dia. Quanto mais tempo puder/estiver disposto a passar melhor será o resultado. Diz-se que para alcançar um nível próximo a fluência seria necessário um período de pelo menos 6 meses;
  4. Você irá se tornar uma pessoa mais independente e responsável;
  5. Você irá provar novos sabores, conhcer iguarias que não possuimos aqui no Brasil, ou provar das receitas “originais” de outras que foram adaptadas em nosso país. Não se preocupe que em últimos casos, há fast food em qualquer lugar, e que aquela coxinha saborosa da esquina de casa, o arroz com feijão e a lasanha/feijoada/vatapá/moquequa/cuzcuz/acarajé que só sua mãe sabe fazer estarão te esperando quando voltares para o Brasil.
  6. Conhecer novas culturas é sem dúvida um dos maiores ganhos do intercâmbio, isso te dará uma nova perspectiva sobre seu modo de vida e sobre a forma que você vê o mundo;
  7. Fará novos amigos e terá oportunidade de aumentar seu networking a nível global;
  8. Aprenderá a dar mais valor a aspectos da nossa cultura que nem sempre damos tanta importância, e a reconhecer que nem todos os costomes dos outros países são melhores que os nossos;
  9. Você irá agregar o seu curriculum, dependendo da sua área de formação profissional pode fazer toda a diferença em uma seleção de emprego ter tido uma experiência internacional;
  10. Você irá conhecer muitos lugares incríveis, seja na cidade em que fizer o intercâmbio, seja em cidades ou países vizinhos.

Bom, acho que esses são os principais pontos.

Na minha opinião a balança pesa a favor.

Em julho poderei dizer se as listas precisam de acrécimos. ☺

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *